Projetos Instituto Malwee

Programa Menos Resíduo, Mais Renda

Um dos objetivos estratégicos do Instituto Malwee é realizar e apoiar projetos ambientais, priorizando ações de impacto no setor têxtil e também relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU: 6 – Água potável e saneamento, 12 – Consumo e produção responsáveis e 13 – Ação contra o aquecimento global.

Desta forma, para redirecionar os resíduos têxteis decorrentes da produção do Grupo Malwee, o Instituto Malwee iniciou o Programa Menos Resíduo, Mais Renda (relacionado ao ODS 12), que tem como objetivo o reaproveitamento dos resíduos de corte (segundo maior em volume de resíduos gerados na indústria têxtil), com menor impacto ambiental. 

O programa busca ainda uma conexão entre a destinação destes materiais e o incentivo a ações de economia circular e ações sociais por meio da geração de renda com a venda de produtos produzidos com estes resíduos. O principal público beneficiário pelos projetos que integram este Programa são mães de crianças em situação de vulnerabilidade, já que o ingresso e desenvolvimento das mulheres no mercado de trabalho sempre é marcado por diferentes obstáculos, que se agravaram ainda mais com a pandemia nos últimos dois anos. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), 8,5 milhões de mulheres ficaram desempregadas no terceiro trimestre de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019. Desta forma, o projeto contribuirá também para a redução da desigualdade (ODS 1 – Erradicação da pobreza, ODS 08 – Trabalho decente e crescimento econômico e ODS 10 – Redução das desigualdades).

O programa “Menos Resíduo, Mais Renda” é uma iniciativa para reaproveitar os resíduos de corte, que representam o segundo maior volume de resíduos na produção têxtil, e com eles contribuir para a inclusão social e desenvolvimento econômico de mulheres e instituições do terceiro setor.

O programa contempla atualmente dois projetos

Projeto Tecendo o Amanhã

Este projeto surgiu após uma ação emergencial no período de pandemia, quando, por meio do Instituto Malwee, o Grupo Malwee realizou doações de cestas básicas para moradores da comunidade do Alto da Boa Vista de Pacajus/CE, que ganham a vida como catadores no lixão da cidade. Com o objetivo de causar uma transformação social na vida das famílias, principalmente das 135 crianças que vivem no entorno do local e, observando o perfil das trabalhadoras ao realizar uma pesquisa sociofamiliar na comunidade, percebeu-se que o projeto Menos Resíduo Mais Renda poderia ser um suporte para as mães da comunidade.

Consolidamos estas informações e os registros do fotógrafo Felipe de Sousa em uma publicação. Um material de planejamento e gestão muito importante para disponibilizar ao governo, à iniciativa privada e ao terceiro setor, para a criação de ações que gerem uma transformação social efetiva destas 65 famílias que vivem no lixão. Para conhecer o material clique aqui.

O projeto Tecendo o Amanhã vem realizando desde então a capacitação de mulheres em situação de vulnerabilidade social, por meio da utilização dos resíduos têxteis doados pelo Grupo Malwee em um ambiente de qualificação profissional para a inserção na cadeia produtiva, resgate da auto-estima, empoderamento e geração de renda. 

O projeto inclui uma jornada de capacitação, durante a qual as beneficiárias aprendem técnicas de costura e artesanato com o aproveitamento de tecidos e insumos que restam da fabricação de peças de vestuário, além de treinamento para identificar oportunidades e práticas empreendedoras. No período das aulas, as participantes contam com transporte gratuito e recebimento de cestas básicas. Depois do encerramento da capacitação, elas terão acesso a materiais residuais ao longo de seis meses, mentoria com voluntários do Grupo Malwee e formação continuada por meio do Ateliê Virtual Instituto Malwee.

A qualificação está sendo realizada em parceria com o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS) e acontece em duas turmas, cada uma com 20 mulheres. A primeira iniciada em 2021 finaliza em abril de 2022, e a segunda que acontecerá de abril a setembro de 2022. As aulas ocorrem às terças e quintas-feiras, das 8h às 12h, no Centro Cultural Maloca dos Brilhante (Av. Lúcio José Menezes, 1107, Pacajus/CE).

Vitória Régia Lima da Silva e Gleiciane Sousa Lima, beneficiárias do projeto destacam a oportunidade que a capacitação proporciona para seu empoderamento individual e coletivo por meio da empregabilidade e geração de renda própria. “Eu me imagino com meu próprio negócio, pois, assim, posso desenvolver mais. Com meu projeto de costura eu posso empregar outras pessoas. Eu e minhas colegas [do projeto] estamos tecendo o amanhã”, afirma Vitória, mãe de duas meninas.  

Com seis filhos, Gleiciane relata que já sonhava com um curso de costura, mas não teria condições de arcar com o investimento. “Nunca tive oportunidade porque é caro. Eu quero produzir as minhas coisas, porque eu já trabalhei, mas sempre para os outros. Aqui, aprendi artesanato, que eu já tinha visto, mas não sabia como fazer. No curso vou aprendendo para colocar tudo em prática”, relata.

Confira o depoimento completo clicando aqui!

Créditos das imagens: Felipe de Sousa


Projeto Ateliê Virtual Instituto Malwee

Além das mulheres da comunidade do lixão de Pacajus, o Grupo Malwee também realiza a doação de resíduos têxteis para outras 5 entidades, também com o objetivo de gerar renda e capacitar mulheres em situação de vulnerabilidade. Para que essas mulheres possam também desenvolver produtos próprios e gerar renda com a sua venda, o Instituto Malwee desenvolveu o Ateliê Instituto Malwee, plataforma criada pelos voluntários do Grupo Malwee, com dicas e tutoriais para a confecção e comercialização de produtos, além de conteúdos sobre empreendedorismo. Esta plataforma é aberta não só às entidades e às beneficiárias finais do programa, mas também a todos os que têm interesse em desenvolver produtos a partir de resíduos de corte da indústria têxtil, uma vez que um dos objetivos do programa é gerar inspiração e capacitação para toda e qualquer iniciativa de economia circular, contribuindo assim para a redução do descarte e para o reaproveitamento de materiais, em linha com ODS 12.

Conheça o Ateliê Virtual do Instituto Malwee:

www.instagram.com/atelieinstitutomalwee/ 

www.facebook.com/AtelieInstitutoMalwee

www.youtube.com/channel/UC8LzRiueAtJXfPqvKK9l-dw 

www.institutomalwee.org.br/blog 

Resultados do projeto

6 Entidades apoiadas

94 Mulheres beneficiadas

+1.100 kg de resíduos destinados em 2021

Instituições/comunidades participantes

Comunidade do Alto da Boa Vista de Pacajus – Trabalhadoras do Lixão

Com a pandemia do Covid-19, o Instituto Malwee, em 2020, se uniu ao CIEDS – Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, ao Centro Cultural Maloca dos Brilhante (CCMB) e ao Reino Evangelizar para realizar, no âmbito do Projeto Atitudes do Bem, a entrega de cestas básicas aos catadores e catadoras do lixão da cidade de Pacajus, no Ceará, extremamente impactados pela chegada do vírus. 

O contato diário com estes trabalhadores mostrou para a equipe envolvida as ausências e sonhos, os sorrisos e anseios, os desafios e necessidades daquela comunidade. Durante a entrega das cestas básicas, as conversas informais e uma pesquisa sociofamiliar registraram o cotidiano das 65 famílias e 135 crianças que vivem no local. Destes registros surgiu o desejo de fazer mais por esta comunidade que foi contemplada com o projeto Menos Resíduo Mais Renda com uma qualificação realizada em parceria com o CIEDS – Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CNPJ 02.680.126/0001-80) para 20 mulheres em 2021 e que terá continuidade ao longo de 2022.

Centro Paula Elizabete (CNPJ 01.947.440/00001-13)

A Associação Paula Elizabete de Montes Claros/MG, atua na assistência social de crianças, adolescentes e suas famílias, há 25 anos, e tem como missão desenvolver condições para a inserção social deste público; e com este propósito atende, por ano, cerca de 300 crianças e adolescentes, através de ações socioeducativas, acolhendo e promovendo seu desenvolvimento no núcleo familiar e nos espaços de convivência e fortalecimento de vínculos. Dentre seus programas, projetos e ações, a entidade conta com um projeto chamado “Construindo Pontes” cujo objeto principal é o enfrentamento ao trabalho infantil. Dentre as ações deste projeto, a entidade realiza o acompanhamento familiar, rodas de conversa para sensibilização das famílias e realização de capacitações que incentivem ao empreendedorismo e geração de renda pelos pais e/os responsáveis, bem como por pessoas de convívio na comunidade. E uma destas oficinas visa à profissionalização por meio da costura e do artesanato, proporcionando uma solução para incrementar a renda destas famílias. A partir de 2021, este projeto passou a ter o apoio do Instituto Malwee com a doação de resíduos de corte e a disponibilização dos conteúdos do Ateliê Instituto Malwee.

Nutrir – Associação de Combate à Desnutrição (CNPJ 06.018.231/0001-09)

A Nutrir tem a missão de potencializar a transformação e resgatar a vida de crianças entre 0 e 6 anos que enfrentam a subnutrição e a obesidade. Atua em 24 favelas, com atendimento ambulatorial para cerca de 1600 crianças e atendimento em sistema de semi-internato para outras 100, com quadro de desnutrição mais grave.

A parceria entre Nutrir e Instituto Malwee, acontece por meio do projeto Aarteando, que tem como objetivo trabalhar a geração de renda de mulheres moradoras de comunidades em alta vulnerabilidade social, por meio de capacitações em artesanato que inclui o bordado livre e resgate da renda singeleza, patrimônio imaterial alagoano. Este projeto atua, através de grupo coordenado por uma designer, para desenvolvimento de peças de roupas exclusivas e acessórios de casa e cozinha. A partir de 2021, este projeto passou a ter o apoio do Instituto Malwee com a doação de resíduos de corte e a disponibilização dos conteúdos do Ateliê Instituto Malwee.

Associação das Mulheres de Paraisópolis (CNPJ 13.690.198/0001-24)

A Associação das Mulheres de Paraisópolis, atua na comunidade de Paraisópolis colaborando e liderando a luta de mulheres. Em 2017, criaram o projeto Costurando Sonhos Brasil, que já capacitou 250 mulheres em corte, costura e modelagem. Seu público alvo são mulheres em situação de vulnerabilidade social e algumas com histórico de violência doméstica.  

O Costurando Sonhos Brasil, que hoje é um negócio de impacto social, cria e confecciona produtos usando matéria prima de baixo impacto ambiental ou reaproveitando de resíduos têxteis e por essa total conexão com o Projeto Menos Resíduo, Mais Renda é uma das entidades que faz parte desta iniciativa do Instituto Malwee e do Grupo Malwee, recebendo a doação de resíduos de corte e se utilizando dos conteúdos disponibilizados no Ateliê Virtual Instituto Malwee.

Senai Guaramirim (CNPJ 03.774.688-38)

Por meio do projeto Menos Resíduo, Mais Renda, o Instituto Malwee se engajou a uma iniciativa da Fundação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) que estruturou um laboratório prático para treinamento, além do curso de corte e costura promovido na unidade do SENAI Guaramirim e Jaraguá do Sul. A ação beneficiou a comunidade haitiana do bairro Vieiras em Jaraguá do Sul/SC, composta por cerca de 80 famílias. A qualificação no SENAI oportunizou para as beneficiárias da comunidade conhecimento técnico como manuseio de máquinas, modelagem e orientação para práticas empreendedoras, e contou com a doação dos resíduos de corte pelo Grupo Malwee.

Cedep – Centro de Educação Popular (CNPJ 80.669.740/0001-54) 

O Cedep conta com o Projeto Mulheres Empreendedoras que acontece há 13 anos e tem como objetivo o fortalecimento de vínculos, produção de artesanato e geração de renda para mulheres em situação de vulnerabilidade da comunidade de Monte Cristo de Florianópolis/SC.

As alunas inscritas no projeto encontram, a partir do lazer, não só aprendizagem e atendimento psicossocial, mas também formas de pensar autonomia e refletir sobre suas relações consigo mesmas, famílias e sociedade. O artesanato é a ferramenta para a criação de grupos de diferentes mulheres, com espaços de escuta ativa e transformação de realidades. O projeto conta, a partir de 2021, com a doação dos resíduos de corte do Grupo Malwee, com o acesso aos conteúdos do Ateliê Virtual e contou também com uma oficina de “Crochê com Fio de Malha”, ministrada por uma voluntária do Instituto Malwee.

Apoiadores e parceiros

 

A Transnacional é uma das empresas parceiras do Projeto Menos Resíduo Mais Renda, oferecendo gratuitamente transporte para as mulheres e garantindo assim o deslocamento para o local onde acontece a capacitação. Além disso, contamos com outra empresa parceiras, a Transmagna, responsável pelo transporte dos resíduos têxteis do projeto. Com o apoio desta empresa estamos
conseguindo entregar a matéria-prima da confecção de diversos produtos para todas as beneficiárias do
projeto.

CIEDS
CCMB

O CIEDS – Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável e o Centro Cultural Maloca dos Brilhante, tiveram papel fundamental na intermediação, aproximação e articulação com os moradores da comunidade do Alto da Boa Vista (Lixão de Pacajus) para a realização do Projeto Tecendo o Amanhã.

Nosso muito obrigado a estes parceiros.

 

Agradecimentos Especiais

Circulo
CHT

Com a doação da empresa Círculo, e também com o apoio de colaboradores do Grupo Malwee e da empresa CHT, que participaram de um leilão de cestos produzidos com fio de malha residual, todas as entidades receberam kits de agulhas de crochê, que serão utilizados nas oficinas ou doados diretamente às beneficiárias, permitindo assim a realização da  capacitação e reduzindo os custos pessoais dessas mulheres com ferramentas de trabalho.